Categories

  • Sem categorias

Most Popular

Most Viewed

Por que é que o cálcio é tão importante para a saúde?

O cálcio é, normalmente, associado à saúde óssea e, de facto, são os nossos ossos e dentes que mais necessitam deste mineral para se manterem saudáveis. Sendo nos ossos que se aloja 99% da quantidade que temos no nosso organismo, a verdade é que há outras funções vitais do nosso organismo que necessitam de níveis adequados de cálcio para se realizarem corretamente.1

Uma vez que, por si só, o nosso corpo não tem capacidade para produzir cálcio, é necessário obtê-lo através de fontes externas (ou seja, alimentos e, em casos recomendados por um profissional de saúde, suplementos alimentares).2 Estando presente em vários alimentos, o que é facto é que o leite e os laticínios são uma das principais fontes de cálcio para a nossa dieta.3

Assim, quem, por necessidade/ aconselhamento médico ou por opção (o que é comum em casos de intolerância à lactose), não consome leite e seus derivados tem um risco acrescido de ingerir doses deficitárias de cálcio.4 Ora, manter níveis adequados deste mineral no nosso organismo é fundamental para assegurar funções vitais que dele necessitam.1

4 aplicações do cálcio na nossa saúde

A ingestão de níveis de cálcio adequados é fundamental desde o momento em que nascemos até ao final da vida, uma vez que, nas crianças, este é um mineral essencial para o crescimento e, durante a vida adulta, previne o risco de perder massa óssea.2,5 Além disso, o cálcio apresenta ainda outras aplicações importantes na nossa saúde. Vejamos quais

1. Saúde óssea

De acordo com a Direção-Geral da Saúde, a grande função do cálcio é a formação da massa óssea, isto é, dos ossos e dos dentes.6 Porém, não se pense que é apenas na infância – quando o nosso corpo está em crescimento – que este processo se verifica, uma vez que, durante toda a vida, o nosso esqueleto está em constante remodelação, de forma a responder aos microdanos que os ossos vão sofrendo.5

Embora, na idade adulta, a reparação óssea nem sempre seja feita na sua totalidade5, a verdade é que, até atingirmos uma idade avançada, o nosso organismo está em constante reconstrução e fortalecimento dos ossos, processo para o qual o cálcio é imprescindível.2

A perda de massa óssea resulta no aumento do risco de osteoporose, uma doença difícil de tratar, sendo a prevenção, por isso, a melhor estratégia. Até aos 40 anos, a perda de massa óssea é, no geral, muito baixa, sendo a partir dessa idade que ela começa a aumentar gradualmente.5

2. Contração muscular/movimento 

Além dos ossos, também os músculos necessitam de cálcio para funcionar corretamente. Este mineral contribui para ajudar os músculos a contrair-se, bem como a manter os nossos tecidos flexíveis e fortes, sendo, por isso, essencial para os nossos movimentos corporais do dia a dia.4,7,8

3. Função cardíaca

Também o músculo cardíaco necessita do cálcio para funcionar corretamente, sendo este mineral que permite a realização do movimento de batimento cardíaco.2 Assim, há vários estudos que se têm focado na ligação da ingestão deste mineral e os níveis de pressão sanguínea.9 Não existindo evidências suficientes para afirmar que a ingestão inadequada de cálcio aumenta o risco de hipertensão, a verdade é que alguns estudos têm sugerido que dietas ricas neste mineral podem contribuir para a regulação da tensão arterial e consequente prevenção da hipertensão.5

4. Prevenção da pedra nos rins

Os rins desempenham um papel central na filtragem do cálcio que ingerimos, sendo a maior parte dele reabsorvido pelo nosso organismo e outra pequena parte expelida através da urina. Alguns investigadores sugerem que a ingestão de uma dieta rica em cálcio pode contribuir para impedir a formação de pedras nos rins.10 Este é, porém, um benefício que se verifica apenas com o cálcio obtido por via dos alimentos e que foi estudado no contexto de uma determinada dieta, tendo os suplementos alimentares o efeito contrário, ou seja, aumentar o risco de pedras renais.9

O que acontece em caso de deficiência de cálcio?

Ao contrário do que acontece com outros nutrientes que ingerimos, o nosso corpo armazena uma quantidade de cálcio muito maior do que aquela de que necessita a curto prazo. Por isso mesmo, uma eventual deficiência de cálcio poderá demorar a ser notada.5

O cálcio de que o corpo necessita para funcionar corretamente pode ser obtido de duas formas: ou é extraído dos alimentos ingeridos ou, caso não estejamos a consumir quantidades suficientes de alimentos ricos em cálcio, o organismo começa a remover aquele que temos nos ossos. Se, a curto prazo, este “roubo” de cálcio aos ossos não apresenta grandes consequências, um prolongamento dessa situação irá resultar, sobretudo, na perda de massa óssea, que poderá evoluir para osteoporose. No caso das crianças, uma deficiência deste tipo poderá levar a raquitismo.1,4
Entre os grupos de risco para o desenvolvimento de uma deficiência de cálcio destacam-se as mulheres em idade de menopausa e as pessoas que não consomem laticínios.4

Referências:

  1. Calcium [Internet]. Harvard School of Public Health. 2020 [citado 19 de maio de 2022]. Disponível em: https://www.hsph.harvard.edu/nutritionsource/calcium/
  2. Calcium and calcium supplements: Achieving the right balance [Internet]. Mayo Clinic. [citado 19 de maio de 2022]. Disponível em: https://www.mayoclinic.org/healthy-lifestyle/nutrition-and-healthy-eating/in-depth/calcium-supplements/art-20047097
  3. Ratajczak AE, Zawada A, Rychter AM, Dobrowolska A, Krela-Kaźmierczak I. Milk and Dairy Products: Good or Bad for Human Bone? Practical Dietary Recommendations for the Prevention and Management of Osteoporosis. Nutrients [Internet]. 19 de maio de 2022 [citado 27 de dezembro de 2021];13(4):1329. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8072827/
  4. Calcium [Internet]. National Institute of Health – Office of Dietary Supplements. [citado 19 de maio de 2022]. Disponível em: https://ods.od.nih.gov/factsheets/Calcium-HealthProfessional/
  5. Power ML, Heaney RP, Kalkwarf HJ, Pitkin RM, Repke JT, Tsang RC, et al. The role of calcium in health and disease. Am J Obstet Gynecol [Internet]. dezembro de 1999 [citado 19 de maio de 2022];181(6):1560–9. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Michael-Power-17/publication/12699370_The_role_of_calcium_in_health_and_disease/links/5a5f66420f7e9b964a1cbc53/The-role-of-calcium-in-health-and-disease.pdf
  6. Direção-Geral da Saúde. Cálcio [Internet]. Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável. [citado 19 de maio de 2022]. Disponível em: https://alimentacaosaudavel.dgs.pt/nutriente/calcio/
  7. Adelstein RS, Sellers JR. Effects of calcium on vascular smooth muscle contraction. Am J Cardiol [Internet]. 30 de janeiro de 1987 [citado 19 de maio de 2022];59(3):4B-10B. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/3028118/
  8. Hildreth D, Brazier Y. Muscles: Types, composition, development, and more [Internet]. 2021 [citado 19 de maio de 2022]. Disponível em: https://www.medicalnewstoday.com/articles/249192
  9. Warwick KW, Newman T. Calcium: Health benefits, foods, and deficiency [Internet]. 2020 [citado 19 de maio de 2022]. Disponível em: https://www.medicalnewstoday.com/articles/248958
  10. Calcium Beyond the Bones – Harvard Health Publications [Internet]. Harvard Health. 2010 [citado 19 de maio de 2022]. Disponível em: https://www.health.harvard.edu/womens-health/calcium-beyond-the-bones

Forgot Password